Imagem capa - Vivendo o Outro Lado por Caio Mayer Fotografia
LifestyleAleatoriedades

Vivendo o Outro Lado



Pois é, já não é mais novidade pra ninguém, eu casei e isso já tem quase quatro meses. Só agora, depois de quase quatro meses eu consegui parar para escrever esse post, a transição de vida não é nada simples e é muito significativa para quem a vive.

Podem falar qualquer coisa, podem tirar sarro ou podem acreditar no que vou escrever: não existe nada que possa ser dito ou mostrado que supere a experiência de casar. Ninguém pode dizer que entende sobre casamentos se não é casado ou que consegue sentir aquilo, mas nunca sentiu na própria alma. Casar é algo surreal, desde que você se entregue para esse momento. Quem é casado, há de concordar comigo. Quem já tem filho ainda complementa que só o nascimento dos filhos superam o momento vivido no casamento.



Comigo e com a Iza, depois desses quase quatro meses (desculpem a repetição do quase quatro meses, é que não são quatro ainda né, então é quase quatro hahaha), de tantas adaptações e conversas, concluímos e entendemos o momento casar e traduzimos como “nova vida”. Não tem nada a ver com morar com seus pais, sozinho ou algo nesse sentido, é casamento meu amigo, é diferente! Pelo menos para nós é diferente.

Mas ok, vamos do princípio…

Como o post anterior “Do Outro Lado” relatou, nos conectamos no sentido da vida em poucos meses namoro e decidimos nos casar para assumir sem atrasos a construção da nossa família. A partir disso começou a saga casamenteira!

Sou fotógrafo de casamentos, então eu tinha que fazer esse workshop da vida real e me casar, faz sentido isso para mim. Muito além disso, casar sempre foi um dos meus sonhos de vida, chegar na minha casa então nem se fala. 

Primeiramente planejamos tudo como seria e se era possível ser daquele jeito, pois tanto eu quanto a Iza, somos pequenos e esforçados trabalhadores. Mas esse lance de “planejamento" que muita gente não consegue compreender o que é, nos ajudou a fazer nosso casamento acontecer exatamente como a gente queria.



Resumindo, o sonho da Iza de entrar na igreja brilhando muito, se tornou realidade graças a Deus e a nós mesmos. 

De um lado eu, fotógrafo, moderninho, clean, meio folk, que curte o simples das coisas  mas com bom gosto. Do outro lado a Iza, clássica, cheia de brilho, gosta de coisas chiques mas é dona de uma simplicidade só dela and rockeira hahahaha equilibrar isso foi uma tarefa árdua. 

Mas nosso casamento foi tradicional, a noite, na igreja e a festa no salão com muito rock. Eu como fotógrafo de casamentos logicamente queria dar aquela pirada em casar de dia em cima de uma montanha na Islândia hahahahaha, mas né, o casamento é de duas pessoas e a palavra que tem mais força sempre é a da noiva, não queiram lutar contra isso, vocês vão perder. Inclusive, as más línguas saíram me derretendo mundo a fora falando, do tipo: nossa! Mas não é ele o fotógrafo dos casamentos de dia, que gosta tanto do sol, vai casar a noite? 

Hahahahahaha, provavelmente quem saiu com essa não é/era casado e não entende a força da noiva nesse momento da vida. 

Mas uma coisa não tava errada no meio disso aí…

Sim! Eu amo fotografar casamentos de dia, amo com todas as minhas forças a luz do sol! E não é só eu, esses dias li uma entrevista que saiu antes de eu nascer do Sebastião Salgado que relatava que pra ele a melhor luz que existia era a do sol! Eu não preciso dizer mais nada sobre isso, né? Quem sou eu pra contestar isso, e nem quero porque eu acho a mesma coisa. <3



Então galera, uma coisa é trampar com casamento e gostar de um tipo de casamento, outra coisa bem diferente é casar. É uma construção. E além do sonho da Iza, envolve uma comunidade familiar bem grande, que no nosso caso, são extremamente tradicionais também. Tivemos a ilustre e incrível colaboração de vários amigos e profissionais de casamento que nos auxiliaram para que esse dia se tornasse de fato realidade, não vou mencionar nomes aqui porque já fiz isso logo após do casamento no Instagram e no Facebook. Mas saibam que se não fosse eles, o sonho não se tornaria real.



Ok! Esse foi um resumo breve do que foi o casamento no sentido dia do casamento e as fotos podem contextualizar ainda mais isso.




Mas o que de mais importante tem para ser dito é que casar é massa demais! Pelo menos pra gente tem sido e nós alimentamos isso dia após dia. Agora deve ter alguém lendo e pensando “espera passar mais um tempo” ou “espera vim os filhos”… Sério gente, o que a gente mais ouviu foi isso em toda a caminhada do casamento, não precisa ficar repetindo. Nós gostamos de desconstruir todos esses papinhos prontos sobre como viver a vida de casados e fazer algo diferente em relação a isso. 

Convido você que é casado e pensa dessa forma a fazer a mesma coisa, questione o porque e melhore o que não está legal. Ontem mesmo eu e a Iza tivemos um confronto de ideias que foi até pesado de conversar, mas existiu um equilíbrio e ações para que isso não venha a interferir no nosso casamento e na construção da nossa família. E sim, é difícil tudo isso na maioria das vezes, mas também é difícil ser solteiro, é difícil trabalhar, é difícil se divertir, é difícil se sacrificar, ou seja, viver é algo difícil.



E falando em dificuldade, foi difícil encontrar onde iriamos morar hahahahaha isso daria um post só desse assunto porque é extenso o conteúdo. Queríamos um apartamento no começo de tudo… Mas aí tinha os dogs… Mas aí não tinha churrasqueira e mais um monte de objeções como os preços e etc e tal. Eis que mudamos de ideia e fomos para as casas, encontramos muitas casas boas durante as pesquisas mas quando fomos pesquisar novamente para fechar o negócio elas evaporaram. Foi então que caiu do céu uma oportunidade linda e incrível de um apartamento de frente com a porta de um dos nossos compadres, grande, com área aberta bacana, que comportaria a nossa mini Family maravilhosamente bem. 

Só não tinha lavanderia, degrau das escadas, cortinas, tampas dos vasos, faltava algumas luzes, porta do lavabo e todos os móveis que alguém precisa para sobreviver. Hahahaha minto, tinha os banheiros montados, cozinha, hack na sala e a suite presidencial ok, só faltava a cama. Onde que eu quero chegar nessa conversa? Eu quero deixar registrado aqui que eu e a Iza preparamos o nosso casamento, lidamos com uma reforma no apartamento que iriamos morar (uma palavra descreve o stress: pedreiros), eu estava fotografando uns 9 casamentos nesse período (são 9 noivas falando ao mesmo tempo mais a minha), nós não tínhamos nada de móveis, a Iza estava fazendo estágio da faculdade, apresentou o TCC na semana do casório e ainda tinha que emagrecer. Hahahahahahahahaha




Resumo da ópera, seguimos o amor do nosso coração e a nossa racionalidade para conquistar tudo aquilo que vivemos. Se tem algo que temos a dizer é gratidão a Deus, nossas famílias e amigos por estaremos sempre apoiando em todas as nossas decisões no caminho que foi percorrido. E agradecer também a nós mesmos, porque se não fosse nós nada aconteceria, né amor? HAHAHAHAHA

Galera, casar é algo único! Batam no peito e assumam essa responsabilidade, se quiserem. Casem-se! E me chamem! Haha



Fotos: Lucas Costa

Foto da entrada da Iza e segurando a mão dela: Eu mesmo.